Enem: tempo extra para estudantes especiais

Mudanças no edital do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2012 garantem atendimento especializado para necessidades especiais dos candidatos, além de correção diferenciada das redações. Provas serão realizadas nos dias 3 e 4 de novembro. Inscrições vão até 15 de junho
As dificuldades com a linguagem também serão consideradas na correção das provas, de acordo com o Inep
Estudantes surdos ou que sofrem com dislexia podem pedir apoio durante as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2012. Devido às suas dificuldades de compreensão da língua portuguesa, os alunos ganharão mais tempo para realizar as provas.

De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), as regras para o atendimento diferenciado para os candidatos deficientes têm se aprimorado. No edital deste ano fica claro que, além dos estudantes com deficiência física, auditiva e visual, que em geral podem solicitar atendimento especial, outros grupos também serão contemplados.
As regras do exame orientam, pela primeira vez, candidatos com dislexia, hiperativos e autistas a solicitarem ajuda especial dos organizadores do exame. Todos esses perfis têm direito a auxílio de um profissional ledor e transcritor, além de poderem solicitar mais tempo para fazer suas provas. Além disso, as redações serão corrigidas sob critérios diferenciados de avaliação.
No entanto, as ferramentas de auxílio – determinadas em lei – devem ser solicitadas no momento da inscrição para o exame. Após a solicitação, funcionários do Inep entrarão em contato com o candidato via telefone, confirmando os pedidos feitos pela internet. Nesse momento o estudante pode solicitar, também, o tempo adicional para fazer a prova. O tempo no Enem será de uma hora a mais.
Correção
As dificuldades com a linguagem também serão consideradas na correção das provas, de acordo com o Inep. Os mecanismos de avaliação dos textos de participantes portadores de deficiência auditiva são coerentes ao aprendizado da língua portuguesa apenas como segunda língua. Serão levadas em conta, também, as características linguísticas de quem possui dislexia.
Auxílio
Podem pedir auxílio pessoas que portem as seguintes deficiências:
1. Baixa visão: ledor, transcritor, prova ampliada, sala de fácil acesso;
2. Cegueira: prova em Braille, ledor, transcritor, sala de fácil acesso;
3. Deficiência física: transcritor, sala de fácil acesso, mesa e cadeira sem braços, mesa para cadeira de rodas, apoio para perna;
4. Deficiência intelectual: ledor, transcritor, sala de fácil acesso;
5. Deficiência auditiva: tradutor-intérprete Libras, leitura labial;
6. Surdez: tradutor-intérprete Libras, leitura labial;
7. Surdocegueira: guia-intérprete, prova ampliada, prova em Braille, tradutor-intérprete Libras, leitura labial, ledor, transcritor, sala de fácil acesso;
8. Autismo: ledor, transcritor;
9. Déficit de atenção: ledor, transcritor;
10. Dislexia: ledor, transcritor;
11. Gestantes e lactantes: sala de fácil acesso, mesa e cadeira sem braços, mesa para cadeira de rodas, apoio para perna;
12. Idoso: sala de fácil acesso.

Fonte: universibrasil.com.br

3 mensagens

  1. maria aparecida gomes taveira /

    fiz 415 pontos no enen fiz osisu e não fui chamada nem na primeira nem na segunda quero estudar não posso pagar uma faculdade

  2. maria aparecida gomes taveira /

    quero fazer minha graduação na ufal fiz 415 pontos no enen espero uma chamada

  3. maria aparecida gomes taveira /

    espero ser chamada para ufal

Deixe uma mensagem



* Campo obrigatório